Frei Valdo Nogueira celebra missa final da Novena de Pentecostes seguida de Adoração ao Santíssimo Sacramento

freivaldocelebrancoadoracaonovenadepentecostes

Na noite desta sexta-feira (02/06/2017), o pároco Frei Valdo Nogueira celebrou a missa final da Novena de Pentecostes na Igreja Matriz da Paróquia São Francisco de Assis às 19h, com a liturgia a cargo da Pastoral Familiar, do Centro de Obras Sociais e do Apostolado da Oração. A animação musical ficou por conta de Maria Elisa Alves. A cor litúrgica do dia foi o branco solene das festas, por ocasião da sétima semana do Tempo Pascal.

Após o comentário inicial feito por Henrique Morais, a procissão de entrada com símbolos dos noitantes, a invocação da Santíssima Trindade, o Ato Penitencial e a oração da coleta, a Primeira Leitura, constante do capítulo 25 do Livro dos Atos dos Apóstolos, foi proclamada por Domingas Silva com destaque para o trecho inaugural "Naqueles dias: O rei Agripa e Berenice chegaram a Cesaréia e foram cumprimentar Festo. Como ficassem alguns dias aí, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: 'Está aqui um homem que Félix deixou como prisioneiro. Quando eu estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra ele e pediram-me que o condenasse. Mas eu lhes respondi que os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação. Eles vieram para cá e, no dia seguinte, sem demora, sentei-me no tribunal e mandei trazer o homem".
Em seguida Paulo Araujo Filho cantou um trecho do Salmo 102 com o refrão responsorial "O Senhor pôs o seu trono lá nos céus" e a segunda estrofe "Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes".
Depois do canto de aclamação, o Evangelho do dia (João 21,15-19) foi proclamado pelo celebrante com ênfase para o trecho final "Pela terceira vez, perguntou a Pedro: 'Simão, filho de João, tu me amas?' Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: 'Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo'. Jesus disse-lhe: 'Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho,
estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir.' Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou : 'Segue-me'".
Após a homilia e o Ofertório, Frei Valdo proclamou a Oração Eucarística, deu-se a consagração, foram rezados o Pai-Nosso, a Oração pela Paz e o Cordeiro, então chegou o momento especial da distribuição da Sagrada Eucaristia aos fiéis presentes, seguida da oração pós-comunhão, da apresentação dos carismas dos grupos noitantes, dos avisos da comunidade, da bênção final e da Adoração ao Santíssimo Sacramento do Corpo de Cristo Eucarístico.
"Seus acusadores compareceram diante dele, mas não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que eu pudesse suspeitar. Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de um certo Jesus que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo. Eu não sabia o que fazer para averiguar o assunto. Perguntei então a Paulo se ele preferia ir a Jerusalém, para ser julgado lá. Mas Paulo fez uma apelação para que a sua causa fosse reservada ao juízo do Augusto Imperador. Então ordenei que ficasse preso até que eu pudesse enviá-lo a César" (At 25,18-21).
"Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores! O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, e abrange o mundo inteiro seu reinado. Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, valorosos que cumpris as suas ordens" (Sl 102,1-2.19-20ab).
"Jesus manifestou-se aos seus discípulos e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: 'Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?' Pedro respondeu: 'Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo'. Jesus disse: 'Apascenta os meus cordeiros'. E disse de novo a Pedro: 'Simão, filho de João, tu me amas?' Pedro disse: 'Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo'. Jesus disse-lhe: 'Apascenta as minhas ovelhas" (Jo 21,15-16).