Frei Raimundo preside missas da festa do domingo de Pentecostes nas Comunidades Jesus o Bom Pastor, Nossa Senhora de Fátima e São Pedro

freiraimundocelebrapentecostesbompastor

As missas da Solenidade do Domingo de Pentecostes (04/06/2017) nas Comunidades Jesus o Bom Pastor, Nossa Senhora de Fátima e São Pedro foram presididas pelo vigário-paroquial Frei Raimundo Nonato Moreira. A cor litúrgica do dia foi o vermelho, em memória do fogo do Espírito Santo. A missa da Vigília de Pentecostes no Bom Pastor sábado foi celebrada pelo vigário-paroquial Frei Ribamar Ferreira. A animação musical ficou por conta do Grupo Haylimme, liderado por Paulo Roberto Mendes.

No domingo no Bom Pastor, após o comentário inicial feito por Paulo Araujo Filho, a procissão de entrada, a invocação da Santíssima Trindade, o Ato Penitencial por aspersão e o Glória cantados, a Primeira Leitura, tirada do capítulo 2 do Livro dos Atos dos Apóstolos, foi proclamada por Rosana Aragão com destaque para o trecho intermediário "Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava. Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo. Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua".
Na sequência Luiz Gonzaga Espínola cantou um trecho do Salmo 103 com o refrão respondido "Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai" e a segunda estrofe "Se tirais o seu respiro, elas perecem, e voltam para o pó de onde vieram. Enviais o vosso espírito e renascem, e da terra toda a face renovais". Na Segunda Leitura, obtida do capítulo 12 da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios e proclamada por Diogo Sarney, o apóstolo das nações exorta no trecho final "Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo. De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito".
A seguir o Haylimme cantou a Sequência de Pentecostes. Depois do canto de aclamação, o Evangelho do dia (João 20,19-23) foi proclamado pelo celebrante realçando o trecho inicial "Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e pondo-se no meio deles, disse: 'A paz esteja convosco".
Após a homilia, a renovação das promessas batismais, a leitura das preces da assembleia por Arlene Martins e o Ofertório, Frei Raimundo proclamou a Oração Eucarística, foi cantado o Santo, deu-se a consagração, foram rezados o Pai-Nosso, a Oração pela Paz e cantado o Cordeiro, então chegou o ápice da distribuição da Sagrada Eucaristia aos fiéis presentes, seguida da oração pós-comunhão, dos avisos da comunidade, do rito de apagamento do Círio Pascal, da Ave-Maria e da bênção final.
"Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: 'Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?' Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos" (João 21,23-25).
"Examina o justo e o ímpio, e detesta o que ama o mal. Porque justo é nosso Deus, o Senhor ama a justiça. Quem tem reto coração há de ver a sua face" (Sl 10,5.7).