Missa solene de Pentecostes na quinta noite do Festejo da Comunidade Santo Antônio é presidida por Frei Ribamar Ferreira

freiribamarcelebrapentecostesfestejostoantonio

Na noite deste domingo de Pentecostes (04/06/2017), o vigário-paroquial Frei Ribamar Ferreira celebrou a missa da quinta jornada do Festejo da Comunidade Santo Antônio, na Ilhinha, e mais cedo a missa solene na Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Jaracaty). A cor litúrgica do dia foi o vermelho do Espírito Santo. O subtema dominical no Festejo antoniano é "Sob a luz do Espírito Santo, saibamos cuidar das pessoas como fez Santo Antônio", com a liturgia a cargo do Terço Santa Mônica, Terço dos Homens e da Pastoral do Batismo.

Confira mais fotos da missa clicando aqui. 

Depois do comentário inicial, da procissão de entrada, da invocação da Santíssima Trindade, do Ato Penitencial cantado e do Cântico de Glória, a Primeira Leitura, oriunda do capítulo 2 do Livro dos Atos dos Apóstolos, foi proclamada destacando o trecho final "Cheios de espanto e de admiração, diziam: 'Esses homens que estão falando não são todos galileus? Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? Nós que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judéia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia, próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus na nossa própria língua!'".
A seguir foi entoado um trecho do Salmo 103 com o refrão coletivo "Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai" e a estrofe inaugural "Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras. Encheu-se a terra com as vossas criaturas!". Na Segunda Leitura, procedente do capítulo 12 da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios, o apóstolo das nações exorta no trecho inicial "Irmãos: Ninguém pode dizer: Jesus é o Senhor a não ser no Espírito Santo. Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito".
Em seguida da Sequência de Pentecostes e do canto de aclamação, foi proclamado o Evangelho do dia (João 20,19-23) enaltecendo o trecho intermediário "Depois destas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: 'A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio'".
Depois da homilia, do Creio em Deus Pai, da leitura das preces da assembleia e do Ofertório, Frei Ribamar proclamou a Oração Eucarística, foi cantado o Santo, deu-se a consagração, foram rezados o Pai-Nosso, a Oração pela Paz e cantado o Cordeiro, daí veio o auge celebrativo com a distribuição da Sagrada Eucaristia aos fiéis presentes, seguida da representação pós-comunhão, dos avisos da comunidade, do rito de apagamento do Círio Pascal, da bênção final e da quermesse com saborosos pratos.
Na noite desta segunda-feira (05/06), a missa do sexto dia da trezena será celebrada pelo padre João Rezende às 19h30min refletindo sobre o subtema "Santo Antônio, ensina-nos a ser misericordiosos para com os necessitados", com a liturgia sob a responsabilidade da Comunidade São José e das Irmãs de São José de São Jacinto.
"Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava. Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou-lhes: 'Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo, nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro e, assim, fui entregue às mãos dos romanos. Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. Mas os judeus se opuseram e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. É, por isso, que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel" (At 28,16-20).