Gratidão é única resposta digna ao dom de Deus, diz Papa no último dia de 2017

papa te deum1 FotoReprodVaticanNews

Na tarde deste domingo, 31, último dia de 2017, o Papa Francisco presidiu na Basílica Vaticana as primeiras vésperas da Solenidade de Santa Maria Santíssima Mãe de Deus e a oração do Te Deum, em agradecimento pelo ano que termina.
Na homilia, o Papa refletiu sobre a leitura de Gálatas 4, 4-5, que fala que “quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho”.

Francisco explicou que esta celebração vespertina “respira a atmosfera” da plenitude dos tempos, porque a fé permite contemplar e sentir que Jesus Cristo, o Verbo feito carne, deu plenitude ao tempo do mundo e à história humana.
“A primeira a experimentar essa sensação de plenitude dada pela presença de Jesus foi precisamente a ‘mulher’ a qual Ele ‘nasceu’. A Mãe do Filho Encarnado, Theotokos, Mãe de Deus. Através dela, por assim dizer, brotou a plenitude dos tempos: através de seu coração humilde e cheio de fé, através de toda a sua carne impregnada com o Espírito Santo”, destacou o Santo Padre.
O Papa explicou que essa percepção interior da plenitude alimenta um sentimento de gratidão, como a única resposta humana digna do imenso dom de Deus.
“Uma gratidão que, a partir da contemplação daquele menino envolto em faixas em uma manjedoura, se estende a tudo e a todos, ao mundo inteiro. É um ‘obrigado’ que reflete a Graça; ele não vem de nós, mas dele; não vem do eu, mas de Deus, e envolve o eu e o nós”, afirmou.
Francisco convidou os fiéis a elevar a Deus a ação de graças pelo ano que termina, reconhecendo que todo bem é seu presente. O Pontífice explicou que, mesmo nesta época do ano de 2017, que Deus concedeu “inteiro e saudável” a cada um, e muitas vezes, os seres humanos o desperdiçaram e feriram com obras de morte. “De tudo, queremos e devemos assumir, diante de Deus, nossos irmãos e nossa criação, nossa responsabilidade”.
Como bispo de Roma, Francisco agradeceu a todas as pessoas que vivem com o coração aberto e contribuem diariamente com pequenas e preciosas ações concretas para o bem da cidade.
E expressou sua grande estima também pelos pais, professores e todos os educadores que procuram formar as crianças e jovens em um sentido cívico, uma ética de responsabilidade, educando-os para cuidarem da realidade que os rodeia.
“Hoje, na ação de graças a Deus, convido você a expressar também a gratidão por todos esses artesãos do bem comum, que amam sua cidade não com palavras, mas com os fatos”, motivou.
Na celebração também houve um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento e o Canto do Te Deum, em agradecimento a Deus pelo ano de 2017. Em seguida, o Papa concedeu a todos sua bênção apostólica.
A Igreja Católica concede indulgência plenária para aqueles que neste dia 31 de dezembro rezarem o Te Deum publicamente.

Segue abaixo a oração do Te Deum: Te Deum

A Vós, ó Deus, louvamos e por Senhor nosso Vos confessamos.
A Vós, ó Eterno Pai, reverencia e adora toda a Terra.
A Vós, todos os Anjos, a Vós, os Céus e todas as Potestades;
A Vós, os Querubins e Serafins com incessantes vozes proclamam:
Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus dos Exércitos!
Os Céus e a Terra estão cheios da vossa glória e majestade.
A Vós, o glorioso coro dos Apóstolos,
A Vós, a respeitável assembléia dos Profetas,
A Vós, o brilhante exército dos mártires engrandece com louvores!
A Vós, Eterno Pai, Deus de imensa majestade,
Ao Vosso verdadeiro e único Filho, digno objeto das nossa a adorações,
Do mesmo modo ao Espírito Santo, nosso consolador e advogado.
Vós sois o Rei da Glória, ó meu Senhor Jesus Cristo!
Vós sois Filho sempiterno do vosso Pai Onipotente!
Vós, para vos unirdes ao homem e o resgatardes
não Vos dignastes de entrar no casto seio duma Virgem!
Vós, vencedor do estímulo da morte,
abristes aos fiéis o Reino dos Céus,
Vós estais sentado à direita de Deus,
no glorioso trono do vosso Pai!
Nós cremos e confessamos firmemente
que de lá haveis de vir a julgar no fim do mundo.
A Vós portanto rogamos que socorrais os vossos servos
a quem remistes como vosso preciosíssimo Sangue.
Fazei que sejamos contados na eterna glória,
entre o número dos vossos Santos.
Salvai, Senhor, o vosso povo e abençoai a vossa herança,
E regei-os e exaltai-os eternamente para maior glória vossa.
Todos os dias Vos bendizemos
E esperamos glorificar o vosso nome agora e por todos os séculos.
Dignai-Vos, Senhor, conservar-nos neste dia e sempre sem pecado.
Tende compaixão de nós, Senhor,
compadecei-Vos de nós, miseráveis.
Derramai sobre nós, Senhor, a vossa misericórdia,
pois em Vós colocamos toda a nossa esperança.
Em Vós, Senhor, esperei, não serei confundido.

 


(Da redação Canção Nova)