Custódio da Terra Santa preside Missa na Canção Nova

custodio da terra santa frei patton4 wesley almeida CN 600x300

O Custódio da Terra Santa, Frei Francesco Patton, ofm, visita a sede da Comunidade Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP) nesta segunda-feira, 29. Ele presidiu a Missa das 7h no Santuário do Pai das Misericórdias. Frei Francesco está em visita ao Brasil de 24 de janeiro a 2 de fevereiro. Ele é o superior principal dos Frades Menores que vivem em todo o Oriente Médio e possui jurisdição sobre os territórios de Israel, Palestina, Jordânia, Líbano, Egito (parcialmente), Chipre e Rodi, sendo considerado uma das principais autoridades religiosas cristãs no país da Bíblia.

O vice-reitor do Santuário do Pai das Misericórdias, Padre Márcio Prado, acolheu Frei Patton e os dois conselheiros que o acompanham na visita, Frei Bruno e Frei Marcelo. “Nossa admiração e nossa oração pelo custódio, por aqueles que ele cuida, pelos templos sagrados, onde as pessoas podem ter um encontro com Cristo”, disse padre Márcio.
O Custódio iniciou a homilia invocando sobre todos o dom da paz, necessário, conforme ressaltou, não só para as terras do Oriente Médio, mas para todo o mundo. “Creio que nunca como hoje necessitamos dessa saudação e que este desejo de paz se realize”, disse Frei Francesco, manifestando a alegria de poder celebrar a Missa no Brasil, em especial na Canção Nova. “Para mim, é uma experiência significativa poder celebrar a Santa Eucaristia em terras brasileiras, especialmente aqui em Cachoeira Paulista, sede da Comunidade Canção Nova, neste Santuário do Pai das Misericórdias”.
Frei Francesco aproveitou para agradecer pela parceria da Canção Nova com a Custódia da Terra Santa. Desde 2006, existe essa parceria para a criação e desenvolvimento do Christian Media Center, o centro de comunicação dos franciscanos em Jerusalém. A iniciativa começou a partir de um encontro do Monsenhor Jonas Abib com o então custódio naquele período, Frei Pierbattista Pizzaballa, e conta com a aprovação do Custódio atual.
“A Canção Nova realiza na Terra Santa a genuinidade e autenticidade do seu carisma, levar o Evangelho, a Boa Nova, a Boa Notícia do amor do Pai para todo o mundo”, disse frei Patton, destacando sua alegria em poder visitar a nação brasileira, consagrada à Virgem Aparecida, tendo em vista a recente celebração dos 300 anos do encontro da imagem no rio Paraíba do Sul. O custódio frisou a importância de lembrar que o sonho de Deus, que é o sonho da paz, se realiza quando há um profundo movimento de conversão, de mudança de mentalidade e de vida. “A mensagem de igualdade da Virgem Mãe Aparecida foi fundamental para aquele momento da história do Brasil e continua sendo até os nossos dias. É atual para a nossa realidade conflitual da Terra Santa e continua sendo para o Brasil neste delicado momento da política brasileira”.
Fazendo uma reflexão sobre o Evangelho do dia, que retrata um homem possuído pelo demônio, Frei Patton disse que esse trecho leva a refletir sobre o modo como se vive a vida e o lugar que é dado às coisas materiais. O homem possuído pelo maligno é a imagem do homem que não é livre e é interiormente dividido, explicou o frade, destacando que essa passagem bíblica mostra como Jesus se opõe ao mal e como dá liberdade de tudo aquilo que sufoca a humanidade por Ele amada.
Frei Patton recordou ainda que, recentemente, a presença franciscana completou 800 anos na Terra Santa. Oito séculos se passaram desde que a ordem foi aberta para a dimensão da missão universal, enviando frades ao mundo inteiro como testemunhas de fraternidade e paz. Em especial, o frei citou o trabalho missionário na Síria.
“Nossos frades continuam uma presença mesmo na difícil situação atual, onde os cristãos que ali vivem perderam e ainda perdem todos os dias as próprias casas, a segurança, muitas vezes até o mínimo necessário para viverem com dignidade, mas não perderam a fé. Os frades que ali vivem o fazem com fé nas palavras e nos gestos de Jesus de Nazaré, como nos ilumina o Evangelho desta segunda-feira. Esta é a fonte de uma nova evangelização seja para a nossa Igreja no Oriente Médio, mas também para a América Latina e para o Brasil”.
O custódio concluiu a homilia com um pedido de oração: “Peço a todos vocês irmãos e irmãs que rezem pela nossa missão da Terra Santa a fim de que o Senhor da Messe possa suscitar vocações para a vida missionária. Roguemos à Virgem Mãe Nossa Senhora Aparecida que interceda por cada um de nós para que sejamos fiéis anunciadores do Evangelho de seu Filho, missionários da misericórdia do Pai”.

 


(Jéssica Marçal, Da Redação Canção Nova)